O filho do rei e o plebeu da corte.

O vereador Dione Carvalho cuja a sua bandeira vem defendendo a causa das crianças cardiopatas no estado do amazonas, não tendo só a causa dos cardiopatas mais todos os pacientes do sistema único de saúde os mais conhecido como demanda reprimida do sistema de saúde.

no dia 17 de dezembro de 2021 o vereador e toda sua equipe foram alvos de ataques de facções criminosas onde o seu filho de 15 anos foi alvejado com um tiro no abdômen, vale lembrar que o vereador e sua equipe estavam no exercício parlamentar das funções e atribuições de vereador, tendo em vista estava atendendo ao pedido da comunidade Francisca mendes aonde no presente momento estava fiscalizando a pavimentação asfáltica quando sofreram o atentado, sendo alvejado com mais de 70 tiros mais por um milagre de Deus uma chacina não ocorreu.

entre os 2 vereadores, 1º o filho do rei com a família toda do judiciário.

Uma conta na rede social Instagram identificada como ‘fiscalizamao’ divulgou que o gabinete do vereador Amom Mandel (União Brasil) solicitou da presidência da Câmara Municipal de Manaus (CMM) dois servidores públicos para seu gabinete. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (5).
No primeiro documento encaminhado à presidência da CMM, Amom solicita a disposição do servidor efetivo do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), Pedro Augusto Câmara Bessa que é assistente judiciário no prazo de um ano. Outra solicitação é do tenente da Polícia Militar do Amazonas, Elson Pereira de Farias Júnior que também é no prazo de um ano.

A conta que divulgou os documentos questiona o fato do vereador não usar a verba de gabinete para contratar servidores ao invés de solicitar servidores que farão falta nos órgãos que são lotados. “Fica fácil não gastar a verba de gabinete, usando funcionários de outros órgãos”, trecho da denúncia.

o 2º vereador vereador Dione Carvalho sem padrinho mágicos e sem apoio do poder judiciário chegou na Câmara municipal defendendo a causa das crianças cardiopatas vem de uma família humilde e pobre da favela da comunidade sucupira teve uma infância muito difícil reparava carro e vendia bombom para sustentar sua família com 5 anos de idade, vem tendo dificuldade em consegui sua segurança que devido o ocorrido precisa para sua segurança e de sua família.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *