Polícia diz pai atirou em amigos de filho por serem gays; um morreu

Um crime bárbaro que ceifou a vida de Victtor  Silva, de 17 anos, e deixou  Leonardo Rodrigues, de 21 anos, baleado, pode ter ocorrido porque o suspeito do assassinato, Cleber M., não admitia que o filho tivesse amizade com homossexuais. O fato aconteceu dia 14 de março, mas a conclusão sobre a motivação, foi divulgada pela Polícia Civil na segunda-feira (3).

O crime aconteceu dentro de um centro de Umbanda em Rondonópolis, no Mato Grosso. Segundo apuração do G1, no dia do crime, Victtor morto dentro do centro espírita que frequentava. Além dele, outras duas pessoas que estavam na casa foram alvos dos disparos, mas apenas Leonardo e Victtor foram atingidos. Leonardo era o responsável pela realização dos cultos religiosos. Ele passou por cirurgia e conseguiu se recuperar bem.

A primeira linha de investigação apontava intolerância religiosa, no entanto, após colher informações com testemunhas, foi concluído que o crime foi motivado por homofobia, já que a casa espírita era frequentada pelo filho suspeito, de 13 anos, o pai não aceitava que o filho tivesse amizade com homossexuais.

Cleber que é caminhoneiro, fugiu logo depois e não foi mais encontrado, mas já está com a prisão preventiva decretada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *