Suspeita de assassinar o próprio marido é presa com comparsa em Manaus

A princípio investigado como um caso de latrocínio, a morte do peixeiro Adinaldo Farias de Souza, de 44 anos, ocorrida no bairro Tarumã, zona Oeste de Manaus, revelou-se uma trama criminosa friamente premeditada pela sua própria família

Manaus – A princípio investigado como um caso de latrocínio, a morte do peixeiro Adinaldo Farias de Souza, de 44 anos, ocorrida no bairro Tarumã, zona Oeste de Manaus, revelou-se uma trama criminosa friamente premeditada pela sua própria família.

Nesta terça-feira (2), a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) prendeu a esposa de Adinaldo, identificada como Rosângela da Silva Monteiro, e Douglas Victor Vargas Costa, apontado como um dos criminosos que invadiu a casa da vítima.

Outra filha do peixeiro, uma menina de 14 anos, também é suspeita de ter participado do crime. Contudo, até o momento ela ainda não foi apreendida.

A ocorrência

Há uma semana, no dia 22 de fevereiro, bandidos invadiram a casa do peixeiro, e teriam acordado os moradores do imóvel sob gritos de ameaça, e exigiram dinheiro.

Na ocasião, o peixeiro reagiu e matou um dos bandidos, identificado como Sandro Marques de Campos, 25, com uma facada no pescoço.

Adinaldo, porém, também foi atingido com um golpe de arma branca, e morreu horas depois no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto.

Naquele dia, os policiais foram acionados para atender a ocorrência como latrocínio tentado.

Mas já no início das investigações, a Polícia Civil descobriu que uma das filhas do peixeiro, uma adolescente de 17 anos, havia planejado o crime. Ela foi apreendida e encaminhada à Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (DEAAI).

Em depoimento à polícia, a menor relatou que havia deixado as portas da residências abertas para que dois homens adentrassem ao local e matassem o pai dela.

A adolescente também relatou que mantinha uma relação conturbada com o pai, a quem ela classificou como um homem agressivo, por bater constantemente nela, nas suas irmãs e na sua mãe.

Entretanto, durante o andamento das investigações, os policiais encontraram fortes evidências de que a esposa do peixeiro, Rosângela, teria sido a grande mentora do homicídio do marido.

As motivações do crime, no entanto, seria o interesse no dinheiro de um seguro de vida pago pelo peixeiro, além de quantias guardadas no banco e uma propriedade que Adinaldo mantinha no município de Manacapuru.

A Polícia Cicil segue investigando o caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *